30/10/2007

Cap 63: Tudo de volta ao normal... ou quase tudo (Ruan)

Atendi o telefone celular. Minha mãe sabia que não deveria ligar para o meu trabalho se a coisa não fosse realmente urgente.

_Oi. Fala.

_Ruan, a Jeni não me parece muito bem.

_O que houve?

_Ela achou aquela caixa no armário e perguntou o que era.

A caixa com a arma!

_O que a senhora falou para ela?

_Eu contei que você guardava a arma ali e não sei o que deu nela, saiu da cozinha e foi para o quarto. Começou a revirar as gavetas, o computador, tudo...

_Ela deve ter se lembrado.

_Pode ser, não quis me responder, me pediu para deixa-la sozinha.

_Mãe, eu daqui a pouco chego aí... _ olhei o relógio no pulso. _ O expediente não vai demorar muito para acabar.

_Claro. E o que eu faço enquanto isso?

_Onde ela está agora?

_No quarto, como lhe falei, e está chorando.

_Droga... _ senti-me impotente diante daquela situação.

_Ei, espere, ela entrou no banheiro. Pelo barulho do chuveiro, está tomando banho.

_Não faz nada. Deixe ela quieta que eu vou sair daqui voando.

_Tudo bem. Eu só fiquei preocupada com o bebê, ela não pode ficar nervosa.

_Não pode mesmo! _ concordei e desliguei o telefone.

Se alguma coisa tinha disparado a memória de Jeni, ela certamente devia estar em parafuso. Preparei-me para o pior e cheguei em casa afoito, com o coração na mão de tanta preocupação. Estava também um pouco inseguro de que não ficássemos bem. Ela tinha um humor tão oscilante que nada me surpreendia mais.

Encontrei minha mãe vendo a novela das sete, quando abri a porta da sala.

_Cadê a Jeni? _ deixei a pasta e as chaves do carro na mesa.

_Está lá na varanda dos fundos, sentada.

Eu caminhei pelo corredor, atravessei a cozinha e parei na soleira da porta. Podia vê-la dali na cadeira de balanço feita de fibras de plástico entrelaçadas. Ela gostava de ficar nela desde que a compramos em uma feira. A luz fraca e amarelada da varanda, junto com a quietude e o silêncio da noite só irrompido por um grilo escondido em algum lugar próximo formavam um cenário de quadro antigo, rupestre.

_Jeni? _chamei-a.

Ela assustou-se e virou o rosto para trás, tinha o cabelo molhado e estava com um vestido branco de alças comprido.

_Ruan. _ ela levantou-se e sorriu.

Não entendi nada, pensei que a encontraria em prantos e estava com um brilho diferente nos olhos. Eles cintilavam de emoção, mas uma emoção feliz, exultante.

Correu para mim e me abraçou. Eu, inteiro, era um ponto de interrogação. Afastei seu rosto do meu peito para verificá-lo melhor.

_Eu te amo. _ disse-me. _ Eu te amo. _ sorriu. _ Eu te amo muito. _ repetiu rindo alto e segurando meu rosto com as duas mãos como se há muito tempo não me visse.

_Você lembrou do que faltava.

_Lembrei. _ fez um sinal positivo com a cabeça.

_Jeni, é você agora, completa. _ ri também, me sentindo um bobo, mas um bobo feliz. _ Eu também te amo! _ beijei-a com vontade.

_Ruan, eu te amo duplamente agora por tudo que fez por mim. Me desculpe por não ter lembrado, me desculpe quando te disse que não gostava de você, era mentira...

_Não diz nada. _ silenciei sua boca com meu polegar. _ Não importa, não era verdade, eu sabia. Vem comigo... _ puxei-a pela mão até a sala e chamei minha mãe.

_Que foi?

_Ela se lembrou de tudo, mãe! _ contei-lhe para que não ficasse tão aflita quanto estava ao me ligar. _ Agora é a minha Jeni. _ abracei minha linda garota por trás e beijei-lhe os lábios quando virou o rosto para mim.

_Vocês dois vão ser muito felizes ainda. _ minha mãe tocou no meu queixo e no da Jeni.

_Sempre fomos. _ Jeni disse. _Desde que conheci seu filho maravilhoso que sou feliz. _ ela pôs suas mãos sobre os meus braços que envolviam sua barriga.

_Viu como eu sou ótimo, mãe?

_Não ligue, Jeni, ele é um convencido. _ minha mãe balançou a cabeça para os lados e foi para a cozinha com a desculpa de que ia esquentar o jantar, mas sei que era para me deixar a sós com Jeni.

_Eu quero aproveitar tudo ao seu lado. _ Jeni virou-se de frente para mim e acariciou meu rosto e meu cabelo, sentindo-me pelo tato, queria tocar nos braços, nos ombros para acreditar que era ainda tão real quando o tempo parara na sua memória.

_Eu vou tomar um banho. _ disse-lhe ao ouvido. _ Depois comer alguma coisa porque estou com uma fome de leão e...

Ela riu antes mesmo que eu pudesse terminar.

_... depois o leão aqui vai querer ser muito bem cuidado.

_Tá bom, vai lá leãozinho. _ ela riu.

Eu me enfiei debaixo do chuveiro e me senti exultante de felicidade. Mal podia esperar para curtir o resto da noite ao lado da minha linda e maravilhosa mulher.

_Ruan! _ ouvi um grito aflito de Jeni.

Fechei o chuveiro para parar o barulho da água caindo. Senti os pingos escorrendo pelo meu rosto.

_Ruan! Ruan! _ era a voz da minha mãe agora, surrando a porta. _ A Jeni...

Eu abri a porta do box e me enrolei na toalha assustado.

_O que está acontecendo? _ falei antes de virar a maçaneta da porta.

Li Mendi

--------------------------------------------------------------------
Última semana desse seriado! Não perca nenhum capítulo do final emocionante!
Se prepare para o próximo e-book "Fonte do Amor". (clique aqui)
--------------------------------------------------------------------

11 comentários:

Deisinha Rocha disse...

é o bebê...
é o bebê...


é o Igor, ele vai nascer...
chamem uma ambulância...

e eu disse q e tinha q ter a tal porta no meio da história do Ruannnn...


rsrs

Li...
vc é demais...

qm ta com o coração na mão sou eu...

Ana Carolina disse...

Primeira!!!rsrsrsrs..acho que a jeni vai ter o bebê!!!ai que bom!ela lembrou de tudo!!!Vai ruan, corre par amaternidade agora!!rsrsrsrs

Li disse...

rs, é a carol, quase da primeira vista, precisamos fazer o replay para ver no monitor quem chegou um milésimo de segundos antes hahahahahah


sim, é o bebê.

mas se ela tem 6 a 7 meses... como pode ele querer nascer agora...

hummm não vou falar mais nada.

aninha disse...

aiiiiiiiii!!!!!! ela vai entrar em trabalho de parto precoce!!!!!! ai jesus!!!!!!!

Deisinha Rocha disse...

Aih Li...
malvada vc, hein...

carol, faremos assim....
primeiraS...

rsrs


to começandoa a já ter dó do Igor...

mari disse...

Ahhhhh....q injustiça.
Imagina se a Li iria tornar os últimos capítulos cheios de suspense só pra matar de vez suas fiéis leitoras????
Não...capaz...ela não faria isso....
Huahuahuahauhuahuaha

Tu é fogo hein Li???

Fazer o pobre do guri nascer pré-maturo????
Ahhhh...já sei.
É que ele vai ser o protagonista do próximo livro...Tem q nascer logo senão não dá tempo.
hehehehehe

Acho que a Jeni e o Ruan só terão sosego e uma vida pacata quando esse livro terminar e a Li parar de "manipular" a vida deles.hihihihihi

Bjkitas Mil.
Tá frenético isso aki hein???

aninha disse...

oieeeeee!!!! meninas vim convidar vcs para conhecerem o diário de carolina!!! ta recheado de emoções!!!!!!

www.odiariodecarolina.zip.net

bjks

Li disse...

Ahhh hahahah adoro seus coments mari. beijosss

sarah disse...

Ai Li outra vez não?
pelo amor de Deus esses dois precisam d um tempo p/ eles!!!
bjinhos adoreiii ker dizer amei por ela ter lembrado d td!!!

titta_* disse...

voltei!! =)
essas aulas tão em matando,viu?!
kkkkkkkkk...já pensou q absurdo..q falta de humanidade me dixar sem tempo pra ler o meu sagrado seriado?!?! rum! isso nao se faz!!!

eu tb acho q eh o Igor q vem por ai \o/ aaaaaahhhhhhhh q lindinho!!
se bem q o coitadinho j avai nascer eh com rugas de preocupação de tt q a Li abusou. O pobezinho já viu q dentro da barriga da Jeni não rola um soninho quieto e silencioso...vem tentar aqui fora! =P

bjo =**********

Li disse...

kakakkakakakakakak aiii q dor na barriga de tanto rir.

vcs são demais!

hahahah