29/10/2007

Cap 62: Saída de emergência (Jeni)

As pessoas que se consideram importantes para a nossa história exigem que, no mínimo, lembremos delas. Negar-lhes isso é o maior desapontamento que se pode oferecer.

_Como não se lembra de mim, Jeni? A Priscila, sua amiga desde que chegou aqui, passamos tantas coisas juntas e...

Eu fechei a porta de casa e respirei fundo. Indiquei o sofá para que ela se sentasse.

_Me desculpe por eu não ter vindo antes, tive que viajar. Eu fui te visitar no hospital, mas você estava desacordada. Você não pense que eu me esqueci de você, de modo algum, eu...

_Priscila, está tudo bem. _ segurei sua mão. _ Eu não estou pensando nada. Na verdade, eu só quero não me sentir pressionada.

_Claro, desculpe... _ ela fechou os olhos e franziu a testa, percebendo que estava justamente fazendo isso. _ Com o tempo vai vir tudo à tona. Sem pressões. _ ela parou de falar e deu uma risada nervosa. Respirou profundamente suspendendo os ombros e depois os soltou sobre o peso do corpo. _ E como está tudo por aqui? E você e o Ruan? _ balançou meu braço com ar de excitação.

Eu fiquei sem saber o que falar. Ela me considerava, pelo visto, sua amiga mais íntima, enquanto eu parecia só conhecê-la por questão de minutos desde que entrara por aquela porta.

_Bem, bem. _ respondi.

_Bem? _ ela repetiu e me olhou longamente. _ Só tem isso a me dizer?

_Eu estou lembrando aos poucos... _ coloquei as mãos sobre os joelhos e depois estalei os dedos.

_Conta mais em detalhes, boba! _ deu-me um leve empurrão. _Vocês dois já...

_... _ abaixei a cabeça e ri, timidamente.

_Uau! _ bateu palmas. _ Que ótimo!

Balancei a cabeça para os lados constrangida.

_Foi ótimo. _ disse-lhe.

_Fico feliz por você. Todos vimos como o Ruan ficou maluco. Coitado, dava dó.

_Ele é muito legal. Ontem...

_Continue.

Eu parei para pensar por que tive o impulso de dizer-lhe aquela confissão, mas deixei a razão de lado.

_Ontem, eu lembrei de muitas cenas nossas e, quando ele me beijou, eu esqueci de tudo, parecia estarmos juntos desde sempre.

_Que lindo! _ exclamou, enfaticamente, como a maior torcedora da minha felicidade.

A campainha tocou e eu pedi licença para atender.

_Claro! Vai lá. _ disse ela.

Levantei-me e abri a porta.

_Oi, minha filha! _ Elisa salpicou dois beijos molhados nas minhas bochechas.

_Oi. _ sorri-lhe, respeitosamente, mas sem entusiasmo. Minha opinião sobre ela, depois de tudo que Ruan havia me contado, era outra.

_Eu volto depois. _ Priscila deu-me um abraço e disse que repetiria a visita mais tarde.

Pedi-lhe desculpas e ela disse que não precisava, pois entendia perfeitamente.

_Está melhor? Lembrando-se de tudo? _ foi a primeira coisa que minha mãe me perguntou, já acomodada no sofá.

Tranquei a porta e sentei-me ao seu lado.

_Aos poucos. Tudo ótimo. _ acariciei minha barriga e minha mãe olhou fixamente para ela.

_Vejo que meu neto está se desenvolvendo muito bem. E você, está se arranjando com o pai dele?

_Como nunca. _ respondi, não deixaria que me provocasse mais qualquer dúvida contra Ruan.

_Ora, ora, vemos aqui uma família perfeita.

_Não precisa ser irônica. _ pedi, surpreendendo-a.

_Eu não fui irônica! Longe disso. Como pode pensar...?

_Mãe, eu não sei onde quer chegar. _ interrompi-a.

_Como assim? Sou eu que não estou entendendo. _ fez-se de desentendida.

_Até quando você ficará torcendo que as vidas das pessoas dêem errado para justificar suas frustrações?

_Eu não torço por isso, Jeni. Você está sendo muito injusta comigo.

_Mãe, eu estou feliz. _ disse-lhe. _ Estou bem, tenho um marido incrível, aqui dentro de mim, meu bebê, moro em um lar quente e aconchegante. E você? O que tem a dizer sobre si?

_A vida não foi boa comigo, Jeni.

_Não é verdade. Não culpe a vida. Somos nós que não sabemos aproveitar o que ela tem a nos oferecer, querendo sempre mais e mais.

_Fala isso porque, como disse, tem um marido, um filho, uma casa e um lar.

_Mas você teve o Ruan em suas mãos.

_Não era esse Ruan que você conhece. _acrescentou.

_Exato, você quis que ele fosse o Ruan de hoje. Não soube esperar para que crescesse e se tornasse maduro. Não lhe deu a chance de te mostrar que era capaz de mudar. Você queria alguém completo naquele momento. Acabou que não ficou nem com uma coisa, nem outra. Pior, você destruiu a vida dele! O cara chegou ao ponto de pensar em acabar consigo mesmo!

_Jeni, você ainda tem muito o que aprender.

_Pode ser que eu ainda tenha muito o que aprender. Mas, certas coisas não precisamos viver para enxergarmos que são certas ou erradas. Você sempre quis algo maior. Conseguiu viver por algum tempo com um homem muito digno que era meu padrasto. E o que fez? Você o abandonou. Por quê? Ele só podia te dar aquele soldo que não era tão alto assim, te prover uma casa simples e uma vida modesta. Era pouco para você porque nunca soube transformar o que tem em algo que te fizesse feliz.

_Eu não gostava tanto dele assim.

_Desculpas, sempre desculpas para si mesma. Você teve a chance de ficar com Ruan pela segunda vez e o que fez? Você o usou, não contou que estava traindo seu marido. Meteu os pés pelas mãos. Nisso tudo, eu só posso chegar a uma conclusão, enquanto ele amadureceu, você parou no tempo ou, quem sabe, regrediu.

_Eu não vim aqui para ouvir esse tipo de coisa.

_A verdade? Poucas pessoas são capazes de nos apontar o melhor caminho. Elas preferem fazer “hum-hum”, “ãnh-hã”, enquanto estamos contando nossos conflitos porque estão fazendo ouvidos surdos e pensando em si mesmas. Está na hora de achar a saída de emergência para se salvar.

_Eu vou tentar pensar nisso.

_Eu não escolhi o Ruan. _ disse-lhe. _ Eu não o procurei para me vingar de você e um dia esfregar minha aliança, meu filho e minha casa na sua cara. Foi uma grande ironia do destino, mas posso dizer que foi o melhor rumo que poderia tomar. Hoje, sou muito feliz porque as poucas lembranças que tenho já me fazem sentir que valeu a pena. Faça alguma coisa valer a pena para você também. Está na hora de parar de incensar a felicidade dos outros. Não podemos colocar a história alheia em um altar e ficar rendendo adorações a uma existência de perfeição idílica. É uma grande ilusão pensar que não temos problemas. Eu tenho um monte. Eu tive que trancar minha faculdade, vou precisar repetir nas matérias porque não pude concluir. Eu enfrentarei por muito tempo preconceitos de diferença de idade quando estiver com Ruan entre pessoas desconhecidas. Eu preciso enfrentar a saudade dele quando tem que viajar. São mil razões para não achar que é perfeito! Mesmo assim, as pessoas admiram. Só que elas não admiram a ausência de dificuldades, pelo contrário, querem o mesmo para si pela força de superação que temos. Essa força cheia de energia que os invejosos ficam ao redor sugando.

_Eu nunca tive inveja de você. _ tomou o exemplo para si, vestindo a carapuça.

_Não me importa que sentimento guarde por nós, eu só queria que nos deixasse quietos, vivendo nossas vidas. Espero que siga a sua e que seja feliz. Não estou te abandonando como fez comigo um dia. Estou preservando a distância necessária para se manter o mínimo respeito.

_Eu já entendi tudo. _ ela levantou-se e me deu um beijo no topo da cabeça.

Fechei a porta. Ouvi a voz da minha sogra na entrada da sala. Parece que estava ali o tempo todo escutando nossa conversa.

_Eu posso dizer que tenho orgulho da mãe que vai ter o meu neto. _ caminhou até mim e me deu um delicado tapinha no rosto. _ Você é uma gracinha mesmo. Que tal fazermos um café e comermos um pedaço de bolo quentinho que acabei de fazer?

_Eu acho que nós dois vamos gostar muito, não é, filhão? _ acariciei a barriga.

Fomos para a cozinha e eu abri o armário para tirar o pó de café e ajudá-la na preparação do nosso lanche.

_Que caixa é essa? _ perguntei, vendo uma caixa de madeira com um cadeado numerado.


Li Mendi

--------------------------------------------------------------------
Última semana desse seriado! Não perca nenhum capítulo do final emocionante!
Se prepare para o próximo e-book "Fonte do Amor". (clique aqui)
--------------------------------------------------------------------

13 comentários:

Tita disse...

Olhaa sou a primeira hj!! =D
Volto a net! \o/ agora posso voltar a acompanhar o livro.. que já tá no fiiim?! Mas tudo bem eu sei que o próximo tb vai ser td de bom afinal vc tem uma super criatividade, Li!
Perfeita essa frase do cap de hoje: "Poucas pessoas são capazes de nos apontar o melhor caminho. Elas preferem fazer “hum-hum”, “ãnh-hã”, enquanto estamos contando nossos conflitos porque estão fazendo ouvidos surdos e pensando em si mesmas. Está na hora de achar a saída de emergência para se salvar."
Como é difícil achar alguém que ouça você e não tome toda situação pra si mesma, buscando do que reclamar. Talvez até eu seja desse jeito aí por falar algo assim, mas..
Não sei por quê, mas eu acho que a mãe dela não tava sendo tão má assim. To errada?
Beijoo

Ana Carolina disse...

Li...mais uma caixa?! que coisa...falei que ia ser a história das caixinhas...rsrs....ve se não separa esses dois de novo!!!!beijos!!

Li disse...

Meninas, o novo e-book está lá para os plim plins comerciais.

www.fontedoamor.blogspot.com

Amanhã, mais um capítulo da reta final.

Não percam!!!

Beijos a todas vcs!!!

Ah, e qnt a caixa, essa é fácil, está no armário da cozinha, já apareceu na estória antes!

quem leu direitinho desvenda rápido!

chutes?

Marga disse...

Oii!!!
Nossa, fazia teeeempo q eu não comentava aqui...
Mas hoje foi tão bom chegar de viagem (fui ver o amor) e ler um mooooonte de capítulos, um melhor q o outro!!!
ai Li!!!! mas fiquei triste agora de ver q tá acabando o livroooo!!! Demorei pra ir com a cara do Ruan, mas agora acho q não vou conseguir viver sem ele e a Jeni!!! hehehe, pouco exagerada né!! :P
Mas só passei pra deixar um bjão!! E se não for pédir muito, uma alongadinha na história... hehe!
bjooooo!!!

Marga disse...

ah!! a caixa é da pistola q o Ruan guardou lá né???
vou dar uma recapitulada pra ver se acertei! hehehe!
bju!

Li disse...

Boa Marga! Muito boa!
Leitora de carteirinha hahahahahahha

E ah, o livro acaba, mas outro vai começar!!!

"Fonte do amor"

www.fontedoamor.blogspot.com

Já está no ar, prontinho para o ponta-pé inicial.

Beijuuuuuuus

aninha disse...

uhuuuuuuuu!!!!!!! ela ta se lembrando aos poucos!!!!! o que vem pela frente ?????


meninas, vim convidar vcs pra conhecerem o meu e-book diário de carolina!! ta recheado de emoções também!!!!!

www.odiariodecarolina.zip.net

mari disse...

Sério???? Tá acabando mesmo Li????

Ahhhhhhhhhhh....

Mas certamente pra ti está sendo mais uma conquista. Outra etapa vencida.

PARABÉNS linda.

Já dei uma olhadinha nos "plim-plins" do novo livro e certamente vou virar Fã.

Mas falando da Jeni e do Ruan....
Adorei a lição de moral que ela deu na própria mãe...muito bom.
Ela é mil vezes mais madura que a Elisa. Gostei
Ahhh é a caixa é da pistola dele não é???

Bom aguardemos os capítulos finais...
E o nascimento do Baby não é...afinal Final Feliz sempre tem que ter casamentos ou nascimentos...huahuahuaha.

Uhmmm....agora q me toquei...
Por acaso o Igor do novo e-book será o Igor da Jeni e do Ruan????
Já estamos em suspense sem nem ao menos ter iniciado o livro??? huahuahuahauha

Bjkitas Mil

Li disse...

hhahhahahahaaaahhahaha; rs

bom, acho que ele se chamar igor não é a toa rsrs.

eu gosto que um personagem de um livro vire de outro. é uma marca minha.

beijossss

Deisinha Rocha disse...

Genteeeee... quando li o título do capítulo, fikei toda empolgada achando q já era a chegada do bebê...
rsrs

JeniH... arrasouH...

vc é demais Li...

mas como sempre... a tal da caixinha... só falta no próximo capítulo o Ruan fazer suspense com a porta...

rsrs


bjOo grandaUm ni vc, Li...
e ni vcs mininassss...

Deisinha Rocha disse...

se bem q essa caixa num é mais suspense... né... é a caixa q o Ruan tirou a arma, num é????

Deisinha Rocha disse...

ops! abafa o caso... só li os comentários agora e num vi a resposta para o q tem dentro da caixinha...

rsrs

Li... adoro vc...

káká disse...

bom to amando a história..adorei a parada da porta no proximo capitulo..rs..
preferia q o personagem do proximo livro n tivesse esse nome..mais fazer oq neh..kkkk
tenho certeza q vou adoror... li te adoro..bju