21/10/2007

Cap 51: Eu estarei com você! (Ruan)

Às vezes, o ambiente e as condições das intempéries podem acabar com seus planos. O terreno e o clima viram o seu inimigo e limitam suas forças. Em outras ocasiões, eles se tornam seus aliados. Eu só tinha a agradecer por estar em vantagem dessa vez.

Os agiotas escolheram uma estrada pouco movimentada para me entregarem Jeniffer e pegarem o dinheiro. Só havia o sol da tarde, o asfalto, as rochas e o matagal de ambos os lados. Só? Não! Em vários pontos, atiradores de elite foram colocados camuflados entre a paisagem para garantirem a operação.

Eu olhei o relógio e vi que estavam atrasados cinco minutos. Não iriam desistir daquele dinheiro que me custaria muitos anos de trabalho futuro para pagar, a menos que eles tivessem desconfiado de algo. O que não acredito, afinal, fizemos tudo milimetricamente planejado para que nada desse errado. Não importa, eu iria para um campo de trabalho escravo se fosse necessário para juntar o dinheiro que eles queriam em troca da vida da mulher que eu amo.

Segurei a maleta na minha mão esquerda. Eu continuava impassível, ereto, vendo um e outro carro passar por mim. Os motoristas olhavam preocupados, estranhavam aquela figura na beira da estrada parada com o carro no acostamento.

Algumas pessoas e, principalmente, as mulheres costumam disseminar por aí a idéia de que nós somos frios, que a nossa profissão nos fazem rochas insensíveis sem coração. Mas não estamos sós. Outros profissionais precisam adquirir a segurança e calma necessária ao exercício do seu ofício. Cada um, claro, requer estas virtudes, resalvadas as devidas proporções. Vejam os médicos, por exemplo. Quando você está morrendo de dor todos parecem aquele personagem do insensível doutor do seriado “House” da Universal Channel. Li, recentemente, que neurocientistas da Universidade de Chicago descobriram que o cérebro dos médicos, quando observam pessoas com dor, bloqueiam as regiões responsáveis pela “compaixão” e ativam as ligadas ao autocontrole. Assim como eles, nós também aprendemos a nos distanciar do objeto para nos privar do estresse emocional que, invariavelmente, atrapalhariam o raciocínio.

Mas, havia um detalhe que fazia aquelas circunstâncias extraordinárias. Jeniffer era a mulher que eu amo e isso me tirava do eixo de concentração plena. Espero que eles não imaginem que isso acontecia comigo para não me temerem mais do que eu os temia.

Um carro prateado aproximou-se, lentamente, e parou alguns metros mais adiante. Engoli em seco e respirei fundo. Era hora de começar aquilo que eu esperava não demorar muito tempo para terminar.

O homem careca tinha a pele rosada por causa do sol e vestia um elegante terno azul e sapatos lustrados. Caminhou na minha direção e retirou um revólver do paletó. Manteve-o na mão direita encostado a perna para não chamar atenção dos que passavam na rodovia.

_Onde está a minha esposa? _ perguntei, quando ele parou à duas jardas de mim.

_Ela está aqui por perto. _ respondeu.

_Nada feito. _ falei pausadamente. _ Você me entrega a garota viva e eu te dou o dinheiro. Pronto, você segue seu caminho para lá e eu, para o lado oposto.

Ele tirou do bolso o telefone e discou.

_Alô? Passe o telefone para a garota. _ ele falou para seu comparsa e depois jogou o telefone no ar para que eu o pegasse.

Segurei o aparelho e o coloquei no ouvido.

_Jeni?

_Ruan, eu estou bem. _ ela respondeu e eu reconhecia seu tom de voz para não acreditar naquilo.

_Jeni, me diz alguma coisa que só eu saiba para ter certeza de que isso que estou ouvindo não é uma gravação.

_Eu te dei uma caixa com os sapatinhos do nosso filho.

_Certo. Alguém está com você?

_Tá.

_Fique calma, isso vai acabar. Eu te amo.

Tirei o telefone do ouvido e olhei para o homem.

_Você vai pedir para trazê-la aqui e eu lhe dou o dinheiro. Foi assim que nós combinamos.

Joguei o celular de volta e ele o pegou.

_ Já retorno para você. _ ele disse e depois desligou. _ Me dê a mala com o dinheiro que a garota será deixada em algum lugar aqui perto, você a encontrará.

_Acha que eu sou algum idiota?! _ perguntei-lhe.

_Não, mas sob a mira de uma arma, até os mais espertos se tornam otários. _ ele estendeu o braço e apontou a arma para a minha testa. _ Eu só preciso dar um furo na sua cabeça e pronto. Mas, não vamos sujar o asfalto de sangue. Você me entrega a mala e fica com a garota.

Senti a veia do meu pescoço pulando. Dei-lhe o que queria.

_Melhor assim. _ sorriu e caminhou para o carro.

Eu fiz o sinal com a mão quando ele virou-se para abrir a porta. Neste momento, ele foi surpreendido por seis homens que surgiram em todas as direções e formaram um círculo ao seu redor.

Aproximei-me e fiquei na sua frente:

_E sob a mira de todos esses fuzis você consegue ser esperto? Porque eles podem explodir a sua cabeça e fazer voar os seus miolos pelo ar. Então, pegue esse celular e mande trazer a minha mulher até aqui!

_Se atirarem em mim, ele vai ouvir e matar a sua garota.

_E se ele pensar que o tiro que você deu foi em mim? Nem vai ligar... _ ofertei-lhe esta possibilidade de raciocínio para confundi-lo e provocar sua insegurança. _ Eu quero a minha Jeniffer!

Ele apontou a arma para a própria cabeça e eu avancei sobre ele, soquei-lhe o rosto. Sua arma disparou para o alto e depois caiu no asfalto. Esmurrei-o com toda minha ira. Peguei-o pela gola da camisa:

_Eu quero você vivo, entendeu? Eu quero você bem espertinho até trazer a Jeni aqui!

_Vão me matar. Eu não passarei daqui. Não se pode falhar nas missões. _ disse-me rindo, enquanto seu nariz sangrava.

Ele não tinha mais nada a perder, mas eu tinha.

Ouvimos disparos à nossa direita vindos do matagal e eu olhei para os pássaros assustados que voaram dos galhos da árvore, onde já repousavam no cair da tarde.

_Cadê ela?! _ gritei e o sacudi.

_No meio do mato!

Larguei-o e ele foi algemado pelo policial. Os outros homens vieram comigo. Peguei o telefone celular do chão e redisquei para o último número. Alguém tinha que atender, mas nada, não obtive retorno.

_Jeni! _ começamos a gritar por toda parte.

_Achei! _ um homem gritou a dez metros a minha direita.

Trilha Sonora (clique aqui)

Corri em sua direção com toda velocidade e puxei todo o ar que meus pulmões pudessem suportar. Parei alguns metros antes dos dois corpos estirados no chão e eu senti que tudo congelara.

Jeni estava com a roupa ensopada de sangue. Tinha levado um tiro no ombro. O homem ao seu lado estava morto. Ela o matara! A arma pendia da sua mão. Provavelmente, lutara contra ele. Sua vida devia estar 100% em risco. O seu cabelo cobria seu rosto virado para o lado. Ela estava imóvel e eu senti que não ia suportar. Jeni era a mulher que eu tanto esperara para amar. Ela viera até mim da maneira mais inesperada. Seu padrasto pedira para eu protegê-la, mas não cumpri minha missão! Não consegui! Ajoelhei-me em sua frente.


Li Mendi
(escritorali.blogspot.com)

15 comentários:

Li disse...

Meninas, estava euzinha aqui com o dedinho para apertar no "Publicar" qnd...? Plaft! A Internet saiu do ar. Eu falei "¨*$5&*@###kcttt" rsrs.
E ficou assim de charme, o dia todo fora do ar. Aiii que ódio!
Mas agora sim, voltou meia noite! afff
Publicado! rs

Eita, a Jeni morreu! Ou não morreu!? Po, Ruan, você não podia ter verificado isso antes de terminar o capítulo?

hahha

Meninas, amanhã mais emoção.

Bj ni vcs todas.

Deisi, hj o beijo especial é p ti minha linda. Vi q vc indicou o livro p mais pessoas. Obrigada mesmo. Isso sim me estimula. Te adoro querida. Seu carinho por mim me aquece a alma!

Li

ANINHA disse...

FINALMENTE!!!!! PRIMEIRA A COMENTAR!!!!!! PRIMEIRO VIM ESTREAR OS COMMENTS E DEPOIS VOLTO PRA DIZER O QUE ACHEI DO CAPITULO....RSRSRS!!!!

titta_* disse...

Li! =*

vida agitada essa...mas domingo a noite sempre tem tempo! (siiiiimm...domingo! aqui não tem horario de verão! ainda tou no fds =P)

Peguei vááários capitulos de 1 só vez! espertinha essa Jeni heim?!
não sei se teria criatividade pra pensar em frases tão simples como código...dai vem o Ruan - ta, ele eh preparado..=/ - mas se ligar q seria uma gravação?! fiz cara de "uau!" kkkkkkkkkkkkkkk...
tou adorando Li!

vc não vai matar a Jeni,né?!
Nem o bb!!
rum!! =|

titta_* disse...

aaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhh e e squeci de comentar!!
HOUSE eh demais!!

\o/
e o doutor House, de tão mal humorado, eh até engraçado às vezes né?! adoro!! kkkkkkkkkk...#)

Li disse...

hahahahahhah Só pelo seu "rum" to com medo. Melhor eu me comportar bonitinho como uma boa mocinha escritora senão vai q não ganho presente do papai noel??!!!!!!!!!

E ah! A trilha sonora de hj é tudo!!!!

"I ' LL stand by you"

É velha... Mas putz, as Velhas (músicas :P) são as melhores!

aninha disse...

LI, não mate a jeni!!!!! por favor!

meninas, capitulo novo em o diário de carolina

www.odiariodecarolina.zip.net

Lucy disse...

Aiêêê!!! E agora, gente!?!?!?
Morreu? Não morreu? Poutz!!!

Ruan!!! Pára de se lamentar e leva ela pro hospital, caramba!!! Aff!!! Vamos, de pé: UM, DOIS!!! MARCHE!!!

Li disse...

Eita! Agora eu fiquei com medo rs.

o0

rsrs

Beijos ni vcs q vou mimir. Aff to muito morcega, três e meia da manhã ja rsrs.


:)

Lívia disse...

Nem ouse matar a Jeni e o bebe...
já morreu muita gnt nesse livro... credo!!! hahahha...

Vamos logo com isso... próximo capítuloo pra gnt não ficar agoniada!!!

Boa semana pra você Li.
Grande beijo.

sarah disse...

Ai tadinha gente to xorando aki.
Li isso nao se faz rsrsrsrs
Só não vou dizer q vou perfeito pq fikei triste por causa da Jeni mas pelo lado corajoso do Ruan foi perfeito!
o Amo é td msm!!!!!
bjinhos

Ana Carolina disse...

Li...que coisa...tadinha da jeni...ai...ela tem que se salvar..ve se não faz o bebe morrer pelo amor de deus hein li!!!Aii coitado do ruan!Li acaba logo com essa agonia, faz tudo ficar na paz novamente...

Nati disse...

Ai céus!
Coitada da Jeni!!!!

Vou ter um treco aqui se o próximo capítulo for contado pelo Ruan :'(

Vamos agitar o movimento: Queremos a Jeni!!!!!! Queremos a Jeni!!!!!

Letrinhas rosas no próximo capítulo JÁ!!!!

To na espera aqui...rs

Beijos =**

Deisinha Rocha disse...

Li...

eu tava me desmanchando em lágrimas aki... pronta para lhe dar umas broncas pq eu pedi pra q deixasse a Jeni em SEGURANÇA e a mocinha aih, me apronta isso... mas aih... meu coração se derreteu com o beijo especial...
rsrs


di nada linda... e pode dexar q vou continuar indicando...

sei q isso é importante pra vc...

e sim, letrinhas rosas já...
please, please, please... não morre Jeni, não morre Jeni...
o bebê, o Ruan... precisam de vc...


Líviaaaa... caraca maninha... vc engoliu esse livro, né... já acompanhando a gnt... é bouM demás...

bjOo ni vc Li... e ni v6 mininasssss...

Deisinha Rocha disse...

ah... e sim... a trilha sonora é linda... pena a cena ser assim... e sim, as músicas antigas são as melhores...

bjOooooo...

Li disse...

Lindas, lindas... cap de hj no forno.
Peraí, não vou abrir p não solar!
hahahahahahha
Beijos
Li