03/10/2007

Cap 33: Pressão do meio (Ruan)

Manter um relacionamento com Jeni, na minha cabeça, era uma árdua tarefa que implicaria estar sob uma grande pressão do meio. Mas, depois que nos declaramos um ao outro, percebi que a minha visão era individualista, como se eu tivesse que ser a base de sustentação de tudo. Quando, na verdade, os dois representavam as colunas suportes daquele amor. Com isso, os preconceitos, as fofocas e o escândalo das pessoas ficaram mais fáceis de serem enfrentados, afinal, dividíamos as forças. Se um levava à sério demais, o outro estava ali para mostrar que a vida não deve ser encarada de maneira tão dura. Temos várias dessas situações para lembrar.

Uma delas aconteceu na festa de aniversário da amiga de Jeni, Priscila. Ela convidou todos os amigos para ir a uma boate. Apesar de eu ser mais velho que minha namorada, eu tinha o direito de ir e me divertir também. Porém, para uma das amigas de Priscila, a coisa não funcionava assim.

Estávamos na fila para entrar, apenas esperando que o segurança conferisse nossas identidades. Neste momento, a tal garota resolveu falar para uma outra, ao seu lado, o seguinte comentário: “Aqui há mínimo de idade para entrar, mas, se tivesse máximo, ia ter gente de fora”.

Eu sou bem rápido para perceber que o “velho” ali citado era eu, mas também esperto o suficiente para não estragar a noite com uma confusão e atestar para ela que não posso fazer parte do grupo porque sou um “chato, careta”.

Só que se eu era capaz de fazer “ouvidos de mouros”, Jeni não. Talvez eu até faria o mesmo, se estivesse no seu lugar, já que o grupo de amigos era dela e não, meu. Mas o melhor mesmo seria se ela não tivesse escutado nada. Não gosto de brigas.

Jeni tocou no ombro da garota e disse, para a minha surpresa e também admiração:

_ "E se tivesse mínimo de massa cerebral você não entrava, não é mesmo?”

Foi a vez de eu olhar para o lado, agüentar com toda força para não rir. Passei a mão na boca e disfarcei.

_Do que está falando? _ a garota deu um sorriso amarelo.

_Ora, você fala o que quer e ouve o que não quer. É assim, querida. Agora, eu se fosse você, me empenharia em arrumar alguém, porque com essa pança aí e esse cabelo horrível, no máximo, vai pegar um bêbado. O que não é o meu caso, que tenho o meu gato aqui garantido.

Jeni me olhou e sorriu naturalmente enquanto eu ainda estava com o ar preso nos pulmões. Aquilo fora um massacre verbal, uma rajada de FAL com munição de adjetivos.

_Amor, não precisava ter feito isso... Ela é sua amiga... _ disse-lhe, quando estávamos pegando o cartão de consumação.

_Ruan, ela não é minha amiga, é amiga da Priscila. _ consertou. _ Eu estou aprendendo que tenho que me defender, que não posso ser a boazinha, a coitadinha. Você é o meu namorado e ninguém pode falar mal de você na minha frente! _ Jeni começou a andar, sem pegar na minha mão.

Quando ela estava irritada, precisava de um mínimo de distância para recuperar o estado de equilíbrio. Ela ainda soltava faíscas e um invisível campo instável ao seu redor me deixava um pouco longe. Mas, depois de dois minutos, senti que já podia tocá-la. Ela aceitou e envolveu meu pescoço com seus braços.

_Eu te amo muito e estou feliz por estar aqui comigo! _ declarou com o sorriso mais apaixonado que já pude ver.

_Eu também e você é a mais gata de toda essa boate! _ elogiei.

_Jura?! Hummm. Bom saber! _ piscou o olho.

Beijei-a longamente, embalados pela música e, quando abri os olhos, vi a tal garota nos observando. O que ela tinha de fato era inveja da nossa felicidade. As pessoas mesquinhas não suportam o fato de outra ser feliz de uma maneira diferente do padrão. Isso causa um ruído perturbador na cabeça delas.

Também tive as minhas chances de fazer o reverso. Precisei mostrar a Jeni que não podíamos nos deixar abalar pelos outros.

Era um domingo de churrasco na casa de Fonseca e Jeni e eu estávamos mais unidos que nunca. Emanando felicidade por cada poro.

Um dos convidados comentou:

_ Vocês viram aquele rapaz argentino de 24 anos que desembarcou, essa semana, no Santos Dumont? Ele estava nada mais, nada menos, que com sua esposa de 82, repito, 82 anos! Isso aí, os pombinhos vieram passar a lua-de-mel aqui e fazer uma cerimônia religiosa. O que ela ainda faz bem? Só se for sem a dentadura...

Meus amigos explodiram em risadas, mas eu apenas sorri e Jeni abaixou a cabeça e mexeu no prato de comida com o garfo.

_Para mim, esse pilantra só quer é esperar ela morrer e se aproveitou da situação financeira e social dela. Que idiota, ele não se acha ridículo, segurando o casaco de pele daquele fóssil de mulher, não? Olha o nome da coroa, “Adelfa”, parece nome de bruxa de filme infantil!

Algumas pessoas pararam de rir e começaram a me olhar, então, o dono da “notícia de última hora” conteve-se e me encarou também.

Jeni fez menção a se levantar e eu segurei sua mão com força por baixo da mesa para que não permitisse que achassem que podiam abalá-la.

_ Desculpe, aí, Ruan, eu não me referi a vocês, não pense isso, nem tem como comparar porque...

_Que isso! _ abanei a mão no ar, fazendo um sinal de “que nada”. _ É uma situação diferente mesmo, eu tenho a mulher mais bonita dessa festa e posso me orgulhar disso, o que não é o caso de todo mundo. Mas não me refiro a você, não pense isso!

_Gente, saiu mais carne, quem quer? _ a mulher de Fonseca gritou da churrasqueira para dar o “play” de novo, afinal, todos pareciam petrificados.

Quando as pessoas voltaram a conversar em seus grupos e esqueceram de nós, Jeni encostou sua testa na minha e eu a beijei de leve nos lábios.

_Eu te amo. _ ela acariciou meu rosto.

_Eu também. _ passei o polegar na sua bochecha. _ Mais carne?

_Por favor, bem passada! _ pediu.

Beijei sua cabeça, assim que me levantei para buscar.

Autora: Li
(lianotacoes.blogspot.com)

**"Fã Clube Ruan Forever" (Clique aqui)**
**Comunidade do livro (Clique aqui)**

15 comentários:

Nati disse...

Tava esperando vc postar Li \o/

Ainda não li, mas não resisti e quis ser a primeira a comentar...rs

Já volto =**

Nati disse...

Que demais um defendendo o outro...e sem perder a linha!
Ponto para os dois!!!!

Eles são perfeitos juntos, Li!!
Jeni e Ruan forever!!

=***

sarah disse...

Ah Nati tava att essa pagina aki td hora!!!rsrsrsf tava louka p/ ler o capitulo d hj!!!
ams tu passou na minha frente!!!rsrsrsrsrsrsrs
Mas q lindo um defendendo o outro isso é mt importante e lindo!!!
Esse povo é mt preconceituoso!
ngm merece!
Oq importa msm é q eles se amam e nd e ngm pode abalar esse amor lindo!!!!
bjinhos meninas

Deisinha Rocha disse...

EitaaaaH...

agora sim...
começa uma verdadeira guerra...

e pelo visto, são as primeiras batalhas...

mas simmmmmmmmmm...
fofo,fofo,fofo demais eles se defendendo...


rsrs


mas me deu um dor profunda... a cena do churrasco...

ai...


Li...
tem ki dizer, vc é demais...

mas nos diz...
vc ta bem???

bjo ni vc, moça...

:)

Li disse...

Hei! Você que chegaram antes de mim!
Eu fui fazer o arroz do almoço e qnd sento aqui tomo um susto!
hahahah
Pois é meninas, o preconceito é grande... Mas eles vão enfrentar...
Vamos ver como vai ser.
Muitas coisas para acontecer e deixa eu passar o ziper nessa boquinha!
rsrs
Deisi, to bem sim, na graça de Deus, fazendo freneticamente minha monografia.
Ontem eu estava tão estressada com o estudo de caso que to fazendo q não tinha neuronio para escrever o cap. Mas ai acordei, tomei uma xícara de café aqui e fluiu rs

Nati e Sarah, lindinhas, fofas vcs!
Beijocas a todas!!!

Li disse...

posso fazer um comentário toootalmente nada a ver?

ela tá c um peitão nessa foto aí hen?

ai ai, bendita seja a natureza para algumas mulheres.

ok, eu disse que era nada a ver!

hahahahahahahahahah

beijos!!!!!!!!

*mas to feliz c os meus... rs. cada um tem na proporção do próprio corpo.

Lizinha

KÁKÁ disse...

nossa... muito legal sim..
tipo ela mandou bem.. mais ele no xurrasco arrebentou..nossa mandou muito bem..kkkkkk
essas tiradas são ótimas..vc cutuca mais n tem como criar o barraco..kkkkkk
eles estão lindos juntos...
esse preconceito eh ridiculo....
a diferenca eh grande mais tb nd impossivel..sompletamente possivel essa diferenca de indade em um casal...

bjs li..te adoroooo

titta_* disse...

perfeito! #)
esses dois se defendendo e defendendo o amor deles...

hahahaha..os diálogos irônicos são os melhores!
bom d+!!

bjo,Li! =**

aninha disse...

caramba!!!!! a Jeni e o Ruan defendendo um ao outro... que lindo!!!!! a cena da boate então... demais!!!!!!! ela mandou super bem!!!!! to amando tudo isso!!!!!

Nathália disse...

Tá lindo mesmo os dois se defendendo, mostrou tb q a Jeni ta amadurencendo um pouquinho!!

Bjkinhas q o tempo ta curto... passei o feriado ontem papeando no msn e hj to com tudo atrasado pra fazer rsrs só eu mesmo ;)

mari disse...

Ohhhhhh....
Ti bunito esse casal.
Muito legal o capítilo Li.
Bjkitas a todas

Lucy disse...

Que lindinho esses dois! É tão bom o início do romance, onde estão se conhecendo... mto romântico. =)

Ai, Li... só dói saber que eles ainda vão sofrer um pouco... mas tb bem... =)

Abração, meninas.

Deisinha Rocha disse...

hum...
ki boum ki vc ta bem, Li...

e fica "zen" que no fim td da certo...

rsrs

*engraçado eu falar isso pra pessoas qndo eu msma tento ficar... rsrs... sem mais comentários, néh...


Posso concordar com o comentário nada haver... achei q só eu tinha notado o tamanho dos seios dela na fotinha...

rrsrsrs


aih...
se já aconteceu tanta coisa até aki...

imagina o q vem pela frente...

bjoooooo ni td mundo....

mell disse...

é... essa eh soh uma das primeiras batalhas, entre tantas outras q irao aparecer na guerra do amor desses dois!
to amando cada dia mais :)

gaúcha disse...

AAAAAAAAAAAHHHHHHHH, que amor esses dois!!! De onde eles tiram essas respostas eu não sei!!! hahiauhushuahu To amando, Li! O ruim é q depois q eu leio o capítulo fico mto ansiosa pelo próximo! Bjsss