23/09/2007

Cap 21: Eu posso tentar (Jeni)

Olhei para Ruan em desespero. Eu estava sendo sufocada por aquele homem que surgira atrás de mim enquanto eu conversava com Priscila.

_Isso é um assalto! _ ele anunciou.

Todos saíram de suas barracas para verem o que estava acontecendo.

Meus amigos ficaram atônitos e em pânico. Porém, vi nos olhos de Ruan que estava sob controle. Ele analisava os gestos do bandido. Tinha certeza que seu cérebro engendrava uma maneira de me tirar daquela emboscada.

_O que você quer em troca dela? _ Ruan perguntou, com as mãos levantadas para o alto.

_Rui! _ ele berrou e tirou a arma da minha cabeça para fazer um gesto, chamando seu comparsa. _ Pega tudo o que esses mauricinhos têm!

_Ok, pessoal. Fiquem calmos! _ Ruan disse, sem abaixar as mãos. _ Façam o que ele disse, entrem na barraca de vocês e tirem tudo de valor. Não reajam! _ coordenou a ação.

_Estão ouvindo o papai aí? _ o homem ironizou.

Eu não podia ver seu rosto, mas pelo corpo magro e a voz pouco grave, me parecia jovem, cerca de 25 anos.

_Eu vou pegar o dinheiro que trouxe na minha bolsa. _ Ruan anunciou.

Suspeitei que estivesse planejando alguma coisa com aquela armadilha. Seu dinheiro ficava sempre no carro em um compartimento falso. Ruan não o levara para dentro da barraca.

_Peça para o seu amigo me acompanhar. Depois, você me devolve a garota. _ ele negociou.

_Essa aqui você quer?_ o bandido apertou o meu seio e eu quis gritar de raiva e nojo.

Ruan engoliu em seco, sua veia da testa estava pulsando de tensão.

_Rui, fica de olho nesse cara aí. _ o homem ordenou.

O garoto baixo e vestido de camisa de time de futebol largou a mochila de Priscila e entrou na barraca com Ruan. Ele segurava um canivete e parecia um pouco apreensivo. Aquela deveria ser sua iniciação no crime.

Ouvimos alguns gemidos de dentro da barraca. Alguém lá dentro estava apanhando. Senti um frio na barriga. Comecei a chorar. Era torturante ouvir os gemidos. As meninas se abraçaram.

_Tá com pena do seu amiguinho? _ ele lambeu minha orelha e eu senti ásco.

_Solte ela! _ Ruan saiu de dentro da barraca com um revólver apontado para a cabeça do bandido que me sufocava.

Então, era Ruan que tinha batido no bandido?! Hei, ele não me contara que havia trazido o revólver! Por que Ruan achara que iria precisar da sua arma no acampamento? Seja lá qual fosse a explicação, estava certo!

_Rui! _ o homem gritou e o companheiro não respondeu. _O que você fez com ele?

_Solte a garota ou farei bem pior com você. _Ruan manteve o braço esticado em nossa direção.

_Ruan, ele vai me matar, abaixa a arma por favor. _ pedi.

_É, seu babaca! _Carlos, o irmão da Lurdinha, gritou. _ Ele também está armado.

_Solte a garota. _ Ruan mandou mais uma vez, calmamente.

O homem soltou-me e eu cai de joelhos no chão com seu empurrão. Minhas mãos ficaram raladas com as pedras. Tossi, ainda sufocada.

Olhei para cima. Agora era um apontando o revólver para o outro. Corri para perto dos meus amigos e Priscila me abraçou. Lurdinha não parava de chorar, em uma crise de nervos.

_Onde o idiota do seu amigo que chegar? _ Carlinhos virou-se contra Ruan e acabou incitando meus amigos a se rebelarem. Mas nenhum deles tinha coragem de pronunciar qualquer palavra ou dar um passo.

Ruan e o bandido ficaram assim por cerca de trinta segundos. O silêncio da noite só era rompido pelo soluço de algumas garotas. Ruan surpreendeu-nos, quando girou o seu corpo, levantou a perna e com um golpe acertou o rosto do bandido, que foi ao chão. A arma caiu e foi para longe.

Demos um grito de susto e mais um passo atrás, com medo de alguma bala perdida. O bandido balançou a cabeça para os lados, tonto. Ruan pegou a arma dele e colocou na cintura.

_Mãos na cabeça. Agora! _ gritou e continuou impondo a arma.

_Merda. _ o homem pôs as mãos na nuca.

Meu coração pulou de alegria e agora eu estava chorado de felicidade. Levei minhas mãos trêmulas à boca. Como Ruan tinha feito aquilo? Ele dominara a situação!

Neste instante, o outro bandido mais novo saiu de dentro da barraca cambaleante. Tinha o rosto inchado e o nariz sangrando.

_Para lá, senta aí com seu amiguinho. _ Ruan apontou com o revólver. _ Quem tem um telefone de câmera? _ Ruan olhou para nós.

Priscila deu um passo a frente.

_Tire uma foto de cada um. _ Ruan ordenou.

Minha amiga, mesmo tremendo, tentou seguir as ordens de Ruan.

_Olhem para lá e digam "x" _ Ruan puxou o cabelo de um deles e levantou o seu rosto.

_Preciso de quatro cadarços grandes. Rápido. _ Ruan pediu e os meninos começaram a desamarrar seus tênis.

_Você escolheu o acampamento errado. _ Ruan continuou segurando o bandido pelo cabelo. _ E você mexeu com a minha mulher!

O homem fez uma careta de dor, sua boca sangrava e ele perdera o controle da situação. Flávio aproximou-se com os cadarços.

_Tirem a roupa! _ Ruan mandou e eles obedeceram, ficando só de cuecas. _Mãos para trás! _ gritou. _ Agora amarra as mãos deles. _ pediu à Flávio.

Ruan verificou se os nós estava bem apertados.

_Venham comigo, agora! _ mandou e os bandidos seguiram-no.

Ruan colocou-os na caminhonete e, com ajuda de Flávio, amarrou os pés dos bandidos.

_Onde você vai?! _ perguntei a Ruan.

_Terminar esse serviço. _ respondeu-me.

_Você vai matá-los?_ Priscila perguntou.

_Eu bem que gostaria, mas não é esse o meu trabalho. _ Ruan abriu a porta do carro e percebi que colocou a mão no lado esquerdo, abaixo das suas costelas. Estava sangrando. _ Eu não vou demorar. _ ele ligou o carro.

Ficamos atônitos em volta da fogueira, ainda sob o efeito daquele recente perigo. Podíamos estar mortos, feridos e sem nenhum objeto de valor. Ninguém conseguiu dormir ou parar de falar no assunto. Cada um recontou a parte que mais lhe chamara a atenção. Seguimos assim madrugada à dentro até Ruan voltar.

_ Ele deu uma de fortão, mas foi sorte! Porque podia ter matado a Jeni. O cara estava armado. Qual é a dele, quer ser super herói?! _ Carlinhos era o único do contra.

_ E o que você faria se a arma estivesse apontada para sua irmã? _ Ruan apareceu atrás de Carlinhos e colocou a arma na sua cabeça.

Respirei fundo. Que bom que ele voltara!

_Ouuuouuuou, cara! Não brinque com isso! _Carlinhos assustou-se.

_Eu não estou brincando! Ou você acha que eu estava brincando? _Ruan perguntou.

_Eu só disse que você se arriscou._ Carlinhos manteve sua opinião.

_É?! E como você enfrenta o perigo sem riscos?! _ Ruan ficou na sua frente.

_Você podia ter matado a Jeni.

_O que você faz da vida, grande gênio? Sai com a turma com o dinheiro dos seus pais, com o carro dos seus pais e toca uma com a playboy no banheiro, na falta de uma mulher? Porque, pela sua cara, você não pega ninguém.

_Quem você pensa que é? _ Carlinhos empurrou Ruan.

_Gente, vamos parar?! _ Flávio pediu.

_Sabe quem eu sou, seu babaca? _ Ruan pegou-o pela gola da camisa e o jogou no chão. _ Sabe quem eu sou?! _ berrou e Carlinhos ficou com as mãos para cima, vendo que Ruan apontava a arma para a sua testa. _ Eu sou treinado para saber matar! _Ruan sentou em cima da barriga dele e o imobilizou._ Quantos tiros por minuto dá uma AK 47? _ perguntou. _ Responde! _ berrou. _ Não sabe? 600 tiros com alcance de 400 metros. Quantos tiros dá uma FN FAL? 650! Agora sabe o que eu faço com um cinturão e uma FN MAG? _ Ruan estava completamente irado. Ninguém respirava ao vê-lo segurar a gola da camisa de Carlos. _ Eu dou mil tiros por minuto nessa tua fuça de mauricinho, playbozinho, filho da puta!

Ruan levantou-se de cima do corpo de Carlinhos e esse nem moveu-se.

_Agora eu quero ver se você responde essa. É fácil. Quantos tiros se dá com uma arma de brinquedo?!

Carlinhos franziu a testa.

_Aquela arma era de brinquedo? Como você sabia?

_Esse é o meu trabalho! _ Ruan colocou sua arma na cintura.

_Então, por isso... _ Carlinhos levantou-se.

_Sabe qual é a diferença entre nós dois, play? _ Ruan enconstou com força o dedo no peito de Carlinhos e esse se desequilibrou para trás. _ Eu não ponho em risco a mulher que eu amo. Eu dou a minha vida por ela.

Senti os olhos de todos se voltarem para mim e meu coração acelerou.

Ruan respirou fundo e usou agora uma voz amigável para mostrar sua fragilidade:

_Preciso de água para limpar o que aquele bandido de merda fez em mim. _ Ruan tinha um corte de canivete na sua barriga.

As meninas se apressaram para ver quem lhe dava primeiro a sua garrafa de água.

Eu ainda estava sem ação. Ele me salvara, dera uma lição de moral em Carlinhos e... Não tenho palavras. Meu Deus!

_Podem dormir que a emoção acabou por hoje. Amanhã cedo vamos partir, estou cheio desse parquinho de vocês._ Ruan ordenou e afastou-se do grupo.

(Trilha Sonora, clique aqui agora!)

Ele entrou na nossa barraca e eu o segui.

_Você é forte o suficiente para fazer tudo sozinho ou precisa de mim? _ sentei-me à sua frente.

Ruan deu-me a bolsa com os curativos e deitou-se no colchonete. Passou a mão na cabeça, aliviando as tensões.

_Você poderia tirar isso da cintura? _ pedi.

_Está travada. _ ele puxou o revólver e o colocou ao lado do colchão._Eu fiquei maluco quando vi aquele cara com as mãos em você. _ disse-me e riu de nervosismo.

_Deu para perceber. _ limpei a região com uma gase. _ Acho que você vai até ganhar um fã clube, virou o herói por aqui. Não ouviu os suspiros?

_Eu senti um ciúme no ar? _ ele tocou na ponta dos fios do meu cabelo.

_... _ sorri e não lhe respondi.

Enquanto eu fazia o curativo, Ruan me olhava. A luz do lampião iluminava seu rosto com um brilho amarelado. Eu agradeci em silêncio a Deus por estar salvo. Tive tanto medo de perdê-lo. Ele era a coisa mais importante agora na minha vida.


As cenas não me saíam da cabeça. Parece que eu podia ouvi-lo mandar o homem me soltar. A sua voz ainda ressoava aqui dentro: "Você mexeu com a minha mulher", "Sabe qual é a diferença entre nós dois, play?Eu não ponho em risco a mulher que eu amo. Eu dou a minha vida por ela."

Contou-me que entregou os bandidos à polícia e descobriu que por ali era comum haver assalto a turistas. Nem sei o que seria de nós sem Ruan.

Acabei de fazer o curativo e ele se sentou. Ficamos com o rosto muito perto um do outro.

_Eu tive muito medo. _ disse-lhe.

_Não mais que eu. _ falou baixinho e nos olhamos nos olhos, depois um para a boca do outro.

_Você me pareceu tão forte, com controle de tudo.

_É só treinamento. _ respondeu. _ Mas não é possível treinar o coração para suportar alguém ameaçar a vida...

_Você disse ao Carlos "a mulher que eu amo"... _ interrompi-o com aquela lembrança.

_E não retiro o que disse. Eu perdi a cabeça com aquele garoto mimado.

_Eu vim para você... _ toquei seu rosto triangular, sentindo os ossos, a pele, a barba rala. _ ... E vim para ficar.

_Eu sei. _ Ruan beijou-me e eu acariciei o cabelo espetado da sua nuca.

Deitamos lado a lado e ele me envolveu com seus braços. Ficamos com nossos narizes quase colados.

_Você é a pessoa que mais me amou. _ falei-lhe. _ Arriscou sua vida por mim.

_Eu espero que um dia você me ama da mesma forma.

_Me deixa tentar? _ repeti o que ele tinha me dito na gruta. Eu queria mostrar-lhe que podia amá-lo, mas não só em palavras, e sim, em atos.

Ele sorriu e me beijou levemente nos lábios.


Autora: Li
*Você gostaria de ajudar a autora? Então, indique este livro para mais uma pessoa!*

15 comentários:

aninha disse...

primeira!!!!!! rsrsrs!!!!! gente, para tudo!!! que lindo isso aqui!!! ele salvou a vida da mulhe que ama!!!!! emoção demais!!!!! perfeito!!!!! eu amo o Ruan... quero um igual na minha vida!!!!hauhauhauhua!!!!!!

meninas, participem da comu do fã-clube!!!!!

Ana Carolina disse...

Que lindo!! "dou a vida pela mulher que eu amo"!..ai...que fofo li...e tome porrada no carlinhos..bem feito, idiota ele!!!Bem, não vou dizer que quero um ruan pq eu tenho um...o meu príncipe tem cavalo e tudo(só nõ é branco!!!)!!rsrsrs....beijos li...muito emocionante isso tudo ai...o difícil vai ser eles enfrentarem as fofocas da vila...

mari disse...

Uaaaauuuuuuu...
Aiiii fiquei até sem folego...
E eu pensando q o Henrique que era um maluquinho e tava atentando contra a vida da Jeni.
Muita emoção.
Como não vim aki no findi li os 3 últimos capítulos de uma só vez....Ohhhhh beleza.

Li tá tudo d++++++
PERFEITO
Parabéns mais uma vez.

Bjkitas a todas

sarah disse...

Li q emoção nao para td "dou a vida pela mulher que eu amo".
Ai q lindoooooo
ainda bem q vieram esses capitulos rapidao pq aguentar ate 2º p/ ler isso nossa nao ia aguentar!!!
bjs

Li disse...

Eita! Qnts comentários em tão pouco tempo rs.

Ufa, foi de tirar o fôlego.

Lucy disse...

Pouuuuuuutz!!!
*palmas* clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap *palmas*

Muita emoção!!! Muito show!!! Muito tudo!!! As falas estavam ótimas!!! As emoções muito bem desenvolvidas!!! Tudo mto bem descrito e vivido pelos personagens e por mim!!! \o/ Pouuuuut!!!

A reação do Ruan foi.. foi... *suspirando e desesperada de felicidade - balançando os bracinhos eufórica* Quanta emoçãããããão!!!

As falas do Ruan foram perfeitas!!! O chute dele que jogou a arma longe!!! Pooooooutz!!!!!!!!!!!!! Muuuuito show!!!!!!!!! \o/

\o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/ \o/ /o\ \o/ /o\ \o/

Eles... eles... ai... ai...!!! \o/ Lindosssssss!!!

E a explosão com o Carlinhos!?!? Muuuuuuuito bom!!! Falando dos tiros, dos tipos de armas, da arma de brinquedo e... e... e tudo!!! \o/ Enfim!!!!!!!!! Lindooooooooo, Eli!!!!!!!!!!!! \o/

titta_* disse...

Caramba,Li! CAPITULO 21!! o.O
cheguei agora...kkkkkkkk..."um tanto atrasada!",né?! #)

a vida ainda não tá com tempo de sobra,mas sem dúvida o final de setembro traz ventos bem mais calmos a minha pessoa e ao meu curso. ufa!
vou voltar lá pro Cap.1 e chego aqui jajá...
ao menos não terei q esperar pra devorar as "páginas" do livro! #)

adoro!
bjo =********

FC Ruan Forever disse...

lindo né!!! simplesmente perfeito!!!!!! amando muito tudo isso!!!!!!! Ruan Forever!!!!

Deisinha Rocha disse...

aih ke LIndOOOOOOOOOOOOoooo...

da até vontade de ta no lugar da Jeni...

rsrts


Li, mais uma vez....
c escreve mto beeeeeeemmmm...

vanessa disse...

Li...amei este capítulo...faz,do dois,ficarem,juntos...Amor,é Sempre Amor...Ruan Forever...

sheila disse...

Oi!é a 1 vez q escrevo aqui,estou achando o livro mt bom parabens Li.
bjs!!

KÁKÁ disse...

nossa eu tb quero um ruan p mim..td de bom..
ele falando q defendia a mulher q ele ama foi td de bom..e os dois na barraca abracadinhos romanticoas rosto a rosto td q eu queria..nossa... oq eh isso..rs...
ruan tdb..rs...

Quel disse...

Oi Li!!!!
Ahhh li o cap assim que saiu, mas o pc da minah casa naum estava afim de me deixar comentar!hehehehe
PERFEITO demais!!!Esse Ruan realmente é tudo de bom!!!E os dois juntos...MUITO LINDO!!!
Não vejo a hora de ler outro capitulo...totalmente viciada!!!
Beijoss

Li disse...

Oi, Meninas, estou em ritmo frenético com minha monografia, então, não estou podendo comentar cada comentário.
Passei voando para agradecer pelo carinho e presença de todas.
São vocês que me dão força para não parar de escrever!
Beijão!
Li

Nathália disse...

Nem comentei no post passado de tanta curiosidade q fiquei, corri pra cá!!
O Livro ta cada vez melhor Li, mas a parte heróica do Ruan acho q não vou narrar pro meu marido, pra não alimentar mais a síndrome de herói dele, rsrs!!

Bjsss