18/09/2007

Cap 16: Surpresa (Jeni)

Trilha Sonora da Cena

Quando cheguei à casa da Priscila, pensei que iríamos apenas comer pipoca, ver uns vídeos e nos divertimos. Nada de livros, nem estudo por um dia.

Era meu aniversário e eu só queria ficar de bobeira com minha amiga. Mas qual não foi a minha surpresa! Quando chegamos no fundo da casa e vi os meus amigos do colégio ali, na casa da Pri.

_Parabéns para você... Nessa data querida...! _ eles começaram a cantar e eu fiquei paralisada.

Eu nunca tive uma festa surpresa. Há dois dias havia confessado isso a Pri, claro que ela não perdera a oportunidade de tornar realidade meu sonho.

_Ai, vocês não existem! _ levei as mãos ao rosto de emoção e apaguei as velhinhas.

O bolo era de chocolate, escrito com glacê branco: “Parabéns, Jeni”. Ao lado docinhos, salgadinhos, torta salgada.

_Vocês conseguiram esconder isso direitinho de mim! _ ri e bati palmas, feliz, radiante por ser tão querida.

Priscila colocou o aparelho de som na varanda e todos se acomodaram para comer, beber, conversar e dançar!

_Obrigada! Que máximo! _ abracei Priscila.
_E sabe quem quer te dar os parabéns de maneira especial?
_Quem? _ franzi a testa.
_O Henrique! _ ela fez um ar de “Não é um máximo”?
_O que ele ia querer comigo? _ assustei-me.

Vamos abrir o histórico de Henrique. Ele era “o cara- pode- tudo” do 3º ano. Se aparecesse de cabelo azul e saia de escocês, ninguém acharia nada de errado. Sua beleza lhe dava o passe para a glória. Qualquer coisa que partia da sua boca era “Ohhhh, que legal”. Achava até meio ridículo aquela idolatria, mas eu tinha dois olhos para enxergar o que era indiscutível: ele possuía todos os créditos no “cartão gostoso card”. Podia sacá-lo para adquirir qualquer que fosse seu desejo. Mas, eu não sabia que isso incluiria um beijo meu.

_Ele quer o quê? Ficar comigo? _ certifiquei-me que tinha entendido certo.
_É. Só que pediu para eu te sondar antes.
_Nossa, isso que eu chamo de surpresa.
_Ah! Vai, não quer sentir aquele “Tudo” te dando um beijão?
_Bom, eu...
_Jeni, viva mais a vida. Já estou vendo teias na sua boca pela falta de uso.
_É... _ dei um sorriso, tímida. _ O que eu faço?
_Nada, deixa comigo. Posso?
_Ai... _ fiquei uma pilha de nervos.

Priscila foi até Henrique conversar com ele e eu permaneci atrás da pilastra, escondida de vergonha.

Adolescente pode não saber nada na prática, mas tem base de sobra na teoria. Já tinha folheado todos os artigos de revista sobre beijo. Porque a gente quer que seja perfeito, emocionante, que de fato os batimentos de 60 subam para o pico de 150.

Eu particularmente confesso que esperei por um beijo que me fizesse a perna levantar, como no filme Diário de uma Princesa. Aquela cena era exatamente o que eu queria, ouvir sininhos, sentir borboletas voando na minha barriga. Eu tinha visto, revisto e rererevisto os vídeos dos melhores beijos da premiação da MTV. Sempre que me lembro, suspiro de emoção.

Assim, esperei ansiosa pelo meu. Tinha as regrinhas decoradas: “Não se apresse, deixe que o momento chegue; Faça movimentos suaves; Mova devagar a língua; Controle a saliva; Esteja com bom hálito; Não abra muito a boca; Cuidado com as mordidinhas’... e mais outros 189 mandamentos que eu jurava ser capaz de pôr em prática na primeira vez.

Eu era tão estudiosa no tema que sabia a quantidade de músculos da face que se movimentam em um beijo (29! Sendo que 17 só da língua). Imagina que queima 12 calorias!

Mas todo esse Phd em beijo não me serviu de nada, quando Henrique veio para perto de mim.

_Oi. _ disse.
_Oi. _ respondi.
Que coisa tola! Como assim?

Ele não pediu licença, nada. O sinal verde já havia sido dado por Priscila. Henrique colocou a mão debaixo da minha nuca e me olhou com cara de “Você não me escapa”.

Ainda afastei a cabeça para trás, querendo ganhar tempo e recordar o que precisava fazer. Henrique colocou a língua na minha boca e ficou saliva para lá, para cá. Para piorar, bati o dente duas vezes. Isso era um beijo? O diretor da minha história tinha que imediatamente dar um grito no megafone e dizer “Corta, está horrível!”, só que a vida é real, não há script a ser regravado.

Parece que ficou bem claro na minha cara o resultado daquela primeira experiência catastrófica, porque Priscila foi a primeira a perceber. Que ótimo, agora ele poderia dizer para toda a escola o quanto eu beijava mal.

_E aí? _ ela perguntou, quando Henrique e eu nos separamos e voltamos para o centro da festa.
_Foi estranho. _ respondi, com uma leve careta. Priscila e eu ficamos em um canto da varanda para as pessoas não nos ouvirem.
_Como assim? _ ela franziu a testa. _ Ele é o maior gato e dizem que beija muito bem.
_Então, o erro foi meu mesmo. _ senti-me muito mal e envergonhada pela minha falta de habilidade.
_Hei, beijo é assim mesmo, bom com um cara, ruim com outro... _ ela tentou me tranqüilizar.
_Faltou emoção. _ tentei achar o motivo.
_Mas Jeni, não tem como ter emoção, porque foi só uma ficada. Quando a gente fica, é só pelo carinho, pelo toque, beijo por beijo, não tem nenhuma explosão química.
_É, pode ser, eu estava esperando ver estrelinhas, me esquecer do mundo...
_Isso só vai conseguir com um amor de verdade. E enquanto não chega, você pode se divertir! _ piscou o olho. _ Olha, as primeiras vezes são assim, é igual perder a virgindade, mas também, quando melhora é “Uhuuu”.

Eu ri, ela estava certa, não iria ficar me cobrando. Só que o pior de tudo é que eu fiquei com medo de beijar de novo, de ser tão ruim quanto.

_Para te animar, eu tenho um presente que uma pessoa mandou te dar.

Ela me puxou pelo braço e me levou até a cozinha da casa.

_Nunca ninguém deve ter te dado uma coisa tão... Diferente!_ ela riu e mostrou o aquário em cima do armário.
_Para mim?! _ apontei para o meu peito. _ Como sabe que eu ia gostar! _ sorri e fiz um carinho com o dedo no vidro para chamar atenção do peixe amarelo.
_Eu não, ele. _ entregou-me um cartão.

Franzi a testa e abri o envelope. Era a letra de Ruan, fina, inclinada e de uns rabiscos quase artísticos: “Não podemos substituir pessoas, nem animais que perdemos. Mas podemos ceder-lhes lugar no espaço que ficou vazio. Por isso, já que ficou tão triste com a perda do peixe sem nome, achei que ia gostar de ter um para você batizar. Obs= “Dessa vez, pode todos os nomes, exceto as variantes de Ruan. Beijos do seu “não sei o quê”.”

Eu ri e meus olhos estavam brilhando, senti um frio na barriga.

_Ele é doido! _ beijei o papel._Quando Ruan deixou isso aqui?! _ perguntei.
_Quando veio me trazer o dinheiro para a festa._ contou.
_Como assim? Não foram vocês que fizeram a festa surpresa? _ perguntei.
_Bom, cada um trouxe um prato de comida. Mas o bolo e o refrigerante foram por conta dele. Eu perguntei se ele podia ajudar e prontamente disse que sim.
_Não acredito! E por que ele não está aqui?
_Ruan disse que se você perguntasse isso... _ ela achou graça dele ter adivinhado minha reação. _... Era para eu explicar que ficaria em reunião o dia todo no trabalho e não poderia vir.
_Ah! Que pena. _ continuei olhando o bilhete, como se fosse a primeira vez que o lia.

Ao chegar em casa, senti que precisava da minha cama absurdamente. Cai de costas e fiquei olhando o teto. Eu estava feliz pela festa, mas frustrada com a falta de êxtase do meu primeiro beijo. Essas coisas de revista teen supostamente eram escritas por estagiários que comiam pizza em cima do teclado e não tinham nada mais profundo para escrever que inventar falsas expectativas a respeito do beijo.

Sentei-me diante do pc e conectei-me ao msn. Uma mensagem offline do Daniel me avisava que havia mandado um e-mail por causa do meu aniversário.

“Oi, Jeni! Feliz Niver! É muito bom conversar com você. Senti sua falta esses dias. Acredita que sonhei contigo?! É, foi um sonho meio doido, mas te conto depois. Eu li seu último e-mail. Você disse-me que não entendeu nada do que eu tinha lhe dito no e-mail anterior... Bom, então vou reenviá-lo agora com tradução. Saudade de você, garota!”

Eu sorri. Dan era um garoto muito legal. Quando a gente conhece alguma pessoa pela Internet, é semelhante a escrever um livro. Fazemos literatura com a pessoa, moldamos na nossa cabeça alguém que queremos que seja.

Dan e eu nos falávamos regularmente, mas dependia de quando sua namorada entrava no msn também, aí o tempo para mim se reduzia. Porque aí o monopólio era dela. Eu sentia um friozinho, quando ele ficava online e esperava que viesse falar comigo. Era um delicioso joguinho a troca de frases de duplo sentido, as zoações. Eu deixava o pudor de lado. Contava tudo para Dan. Afinal, não tinha expectativa em conhecê-lo, ele era noivo. Mas, com o tempo, eu percebi que estava me deixando envolver demais e ele, também.

Dan gostava de abrir o seu mundo para mim, mesmo que em certos momentos precisasse de legenda para entendê-lo, como no último e-mail criptografado que acabava de me reenviar:

“Oi, Jeni. Foi mal ter saído tão rápido da net, ontem. Já deve ter se acostumado, eu sempre correndo. O Bizu (dica) é entrar mais cedo, porque o sono bate legal lá pelas nove e meia, senão eu toro (durmo).

Continuando nosso assunto... Tu me perguntou o que eu estava achando da idéia de casar. Vou dizer no pau da goiaba (a coisa como ela é). Estou feliz, ta? Só que cheio de medo. Vou sair daqui e fazer vários cursos, no início, praticamente não ficarei em casa. Tenho que acompanhar o recrutas que vão se alistar e sair de lá do quartel tarde. Se ela estiver pensando que vou dar toda atenção, só porque sai da academia, barro (ferrou). Eu não tenho muita escolha, ficarei no sanhaço (situação preocupante). Ela de um lado com nosso filho precisando de mim e de outro o trabalho me sugando. Sem contar que não sou safo (tenho habilidade) com crianças, é mais fácil eu pagar uma babá que trocar fraldas. Minha noiva esperou três anos e acha que tudo vai virar um mar de rosas depois. Pelo contrário, tudo que eu não vou fazer é acochambrar (ficar de corpo mole), tenho que mostrar serviço mesmo, aspirante é para isso.

Ai, Jeni, queria voltar no tempo e namorar, só namorar, não ter compromisso rígido com uma mulher madura, nem com um filho que demande tudo de mim. Eu é que quero colo. Não digo isso para ninguém, só para você porque confio em você! Tá osso, gata. (Tá difícil).

É hora de papirar (estudar) e largar esse msn. Amanhã não posso cartear (enrolar) na prova, senão minha classificação vai lá embaixo e eu não vou poder escolher uma unidade legal ano que vem, para mim qualquer uma seria boa, mas para ela e o bebê é outra história! Com esses dois, que agora dependem de mim, eu não posso cagar o pau (fazer algo errado).

Vou te contar meus planos. Era assim: me formar, fazer cursos, sair, namorar e ajeitar minha vida. Última forma (esquece, desconsidere)! Agora será casar, cuidar de um filho e bancar uma casa.

Eu acho que você está certa, te apóio na idéia que teve: vá arrumar um emprego sim. Gaivota (ponto certo) para você! Pensa só? Você terá sua grana, seu pai vai se orgulhar de você. Só que tipo, ele também pode não gostar, gata, tu vai ser mais independente dele.

Aproveita mais sua vida de jovem, sai fazendo tudo que quer. Não pensa demais não, porque de uma hora para outra você é cruzetada (fica em uma situação indesejável). Beijo, gata.”

Balancei a cabeça para os lados. Ele era doido. Como podia amar a namorada e me chamar de “gata” toda hora? Que sentimentos ele estava nutrindo por mim? Era certo ficar com “gata” para lá, “gata” para cá, tendo compromisso com alguém? Ou o relacionamento dele já nem estava tão bom assim que ele se deixava ser tão permissivo. Perai, ou eu queria enxergar tudo isso?!

Pááára, Jeni, de se questionar! Briguei comigo mesma.

Cliquei no botão “Responder” do e-mail:

“Fala, cadete?! Bom, valeu pelo niver e pela tradução do email. Então, hoje meus amigos fizeram um niver para mim. Meu papi foi o máximo, pagou boa parte da surpresa. Acabou que ganhei um beijo... Ta, não foi o melhor que...”

Subiu a plaquinha avisando que Dan entrou no msn, antes que eu tivesse terminado de enviar o e-mail.

Daniel diz:
Oi, aniversariante!

Jeni diz:
Oi.

Dan diz:
Tenho que estudar, só passei para te dizer que estou com saudade.

Jani diz:
Mentira, me esqueceu!

Dan diz:
Difícil é não pensar em vc

Jeni diz:
Tem uma música que diz isso.

Dan diz:
Viu que mudei meu nick p Dan? De tanto vc me chamar assim.

Jeni diz:
Vi.

Dan diz:
Opa, ela entrou. Depois nos falamos.

Jeni diz:
Aaaaah. Ta bom. T+

Dan diz:
T+, gata.

Achei melhor continuar o e-mail e enviar, porque hoje Dan não teria mais tempo.

Contei-lhe rapidamente tudo e sai do msn. Esperei Ruan para o jantar, mas nada. Eu já estava dormindo quando ele entrou no meu quarto.

_Que horas são? _ liguei a luz do abajur.
_Ainda não é meia-noite e posso te dar parabéns. _ sentou na minha cama, ainda fardado.
_Foi perfeita a festa, foi perfeito o seu presente... _ só não acrescentei que não tinha sido perfeito o meu primeiro beijo. _ ... Já até dei um nome para nosso peixe, Ruan.
_É? _ ele afastou o meu cabelo do rosto e levantou as sobrancelhas.
Sentei-me na cama.
_Hum-hum. Adivinha? _ perguntei e tirei sua boina.
_Não faz isso, eu fico com o cabelo arrepiado.
_Que cabelo? Você só tem uns pelinhos na cabeça! Vive raspado. _ ri.
_Que nome deu para o peixe? _ pegou a boina de volta.
_Nemo.
_Olha, quanta criatividade!
_Ah! Ruan, não zoa!
_O Nemo não era azul? _perguntou.
_Ah! Ruan, você não entende nada né? O Nemo era laranja e a Dori, azul.
Ele balançou a cabeça para os lados, aposto que me achou uma criança com aquela voz de desenho animado.
_Eu gostaria de estar mais presente... Lamento, meu trabalho precisa de mim e...
_Ruan, eu entendo. _ interrompi-o.
_Eu fico feliz que estejamos bem. _ disse-me. _ Desde o baile...
_Esquece isso.
_Eu enfrento tantas guerras, Jeni, que, quando chego em casa, só quero paz. Não quero encontrar ninguém para lutar contra.
_Eu sei. _ sorri e escorreguei para debaixo do lençol._Qual será o meu presente no ano que vem?
_Hum. Acho que um elefante branco que vou trazer pela tromba sala à dentro e te dar.
_É, você irá se superar.
_Mas dessa vez eu vou dar um nome criativo. _ ele levantou-se para sair.
_Qual?
_Jenifante!
_Aaaahhhh! _ peguei uma almofada e arremessei na cabeça dele. _Ridículo! _ Ruan se abaixou e a almofada de coração bateu na parede.
Ele riu e fechou a porta.
É, agora eu já tinha 18 anos, um beijo computado, um peixe e Ruan, meu "não sei o quê".


Autora: Li


*Indique este livro para mais uma pessoa. Ajude a autora a divulgar seu trabalho!*

22 comentários:

Tita disse...

Puutz!!! Se eu te contar que quando era BV eu tb pensava nessa cena do Diário da Princesa, de a perna levantar... Bom... No meu primeiro beijo eu bati o dentes duas vezes tb, mas foi legal (no meio do beijo - não que tenha sido longo - eu fiquei "ué, mas e aquela magia toda?!". Igualzinhooo!

Nemoo! Que nome foofo! Ah e ele era laranja! uahuaha a Dori era azul (aiai.. po eu tenho 17 anos tb, eu posso uahuahauhahua)

Iiih será que vai demorar um ano até dar certo a coisa e ela receber um beijo que vai levantar a perna dela?

hehehe
adoreii!
Beijoo

Li disse...

Tita, é verdade!
HAHAHAHAHA
O meu foi meu esquesito tb. rs.
mas sério melhorou muito, adoro aperfeiçoar. hahahahahhaha
Li

Lucy disse...

Ahhhh, gente!!! Meu bjo com meu amore foi perfeito!! Coisa de cinema!!! Mas.. nao vou contar. Sou tímida!!! *rosto corado*

Mas, ei, esse "Dan" *falo colocando a língua pra fora, debochando* (sim, nao gosto dele ¬¬) é um retardado mesmo, bem dã! Onde já se viu aconselhar a garota a não pensar muito!?!?!? Vai incentivar ela a fazer besteiras... tsc tsc...

Agora, o Ruan é TU-DO de bom!!! \o/ Pagou a festa, deu presentinho e ainda no fim do dia, foi lá todo carinhoso, apesar do dia cansativo que deve ter sido no trabalho!

Só quero ver o que vai acontecer... e to doida pra ver a perninha dela levantar tb e as borboletas no estômago!!! \o/ rsss

Bjão, meninas!!! \o/

Lucy disse...

Esqueci de dizer: meninas, visitem o meu blog e leiam uma coisa que eu escrevi lá... preciso da opinião de vocês. É curtinho, tá? Ajudem-me a melhorar minha escrita...

http://lucywings.blogspot.com//

Li disse...

18 anos, um peixe, um beijo, ruan e...

cadê o Dan?

olha só o inconsciente dela...

O Ruan tá na frente!!!

(credo, pareceu corrida de cachorros agora!!!)

***

Eita, e o primeiro beijo hen, gente?!

Diz aí! E o de vcs?

Nati disse...

Putz...eu era muito novinha quando ganhei meu primeiro beijo...11 anos (vergonha).
Foi muito estranho como o da Jeni.
Beijo de verdade, emocionante, com trilha sonora, borboletas no estomago e tudo o que tem direito...soh com o amor da minha vida. Acho que vai ser assim com a Jeni tb.
Mal posso esperar pelo capitulo em que isso acontecerá.

Li, to viciada!!!! Já li tudo e tá dando vontade de ler de novo por não conseguir conter a ansiedade e esperar o proximo...rs.

Acho que vou ler o livro anterior, que todo mundo jah leu e soh eu que não...rs

Beijos =**

Li disse...

Natinha, querida!!!
Pois é, eu não tive sua sorte.
Mas assim, a vida me abnegou, afinal, posso beijar sempre (tá, ok, sempre não, qnd ele tá aki hahahah) o mesmo homem que amo demais.
Ai, ele tá no campo difícil pacas essa semana sabe?!
Que saudade :( dele!
No sábado 29 a gente faz niver de namoro! Lindo, né?! Oba!
Ah, sim podem esperar pelo da Jeni, pq o roteiro do livro vai deixar muita gente de cabelinho em pé!
Prometooo! Te vejo aqui amanhã, Nat

Anônimo disse...

ai gente.. meu primeiro bj n foi ruim n..nem muito bom..normal..kkkk
mais lógico q o ruan tah na frente do Dan nos pensamentos dela..o Dan eh soh uma valvula de escape..pq ela ainda c sente culpada de gostar do ruan..ingual o ruan faz com a tal virginia...
mais agora ela com 18 anos o ruan vai c sentir mais seguro..pelo - preso ele n eh..IUAHiuahIUHAIha
mais to amando td...está legal o romance dos dois pq eles estão c amando e confusos com medo ao msm tempo..lindo lindo....
e daki a pouco vai em vez de ser ruan meu nao sei oq para ruan o amor da minha vida....AUIhaiHAIUha

Li disse...

Oi Anônima!
Adorei sua análise... Exatamente isso... Eles estão colocando os sentimentos em ordem.
Mas acho que o mais difícil será a etapa dois: e como será sustentar essa relação? cheia de dificuldades?
vamos ver, melhor, rs, ler nos próximos capítulos!
Espero vc, viu?!
Ahhh, as anônimas pode inventar um apelido. Assim, sabemos quem é quem.
Miss, ou Srt alguma coisa!
Ok? Assim posso colocar vocês ali no perfil como leitoras de carteirinha!
Quero ver a criatividade para nomes ehheheheheheh

Li

aninha disse...

olá!!!!!! cheguei!!!! primeiro beijo... eita coisa mais desengonçada do mundo!!! o meu foi com 12 anos... estranho pra caramba!!! mas o meu primeiro namoradinho é um dos meus grandes amigos... sempre que nos encontramos lembramos nossa primeira adolescência... bom demais!! tempos que naõ voltam!!!

mell disse...

aaii.. o meu primeiro beijo foi ridiculo, patetico e ateh quem sabe nojento! quando vejo ele fico me perguntando como eu tive coragem!
hsuauhauhauhs
eu era novinha, tinha 11 anos =)

eu concordo com o Dan e discordo da Lucy.. na questao de fazer as coisas sem pensar!
quase tudo q eu fiz na minha vida, eu fiz sem pensar, agindo por impulso e talz... e acreditem, nunca me arrependi de nada, se eu fosse pensar no q fazer... naum faria! quem sabe por medo, vergonha ou algo do tipo :)
acho q a jeni devia fazer o q o cadete falou sim... naum pensar, simplismente agir!

li... meu namorado tb tah no campo! naum aguento mais de saudade =/
amanha comemoramos uma data mto especial, q naum eh de namoro, mas q marcou nosso amor (L)

aninha disse...

huuuummmmm!!!! que lindo mell!!!!! bom demais comemorar datas especiais!!!!!! por que vc naum faz uma surpresa pra ele quando voltar do campo ???? ele vai amar!!!
mell, assim como vc, dei meu primeiro bju novinha e também agi muito sem pensar!! só na base do impulso... mas não me arrependi de nda não!!! foram momentos preciosos na minha vida e justamente essas pessoas que ainda fazem parte dela!!! agir por impulso... nossa... ainda to sentindo uma certa emoção até agora!!! vou contar o milagre mas não digo o nome do santo... mas to numa felicidade tremnenda!!!!!!!!!!!!!!!!! um friozinho há muito esquecido e que de repente vc volta a sentir... aquele lance de fechar os olhos e rever toda a cena... aiiii!!! bom demais!!!!hauhauhuahua!!!!! bjus meninas!!!!!! amo vcs!!!!!

Anônimo disse...

Olá,
Entrei aqui através do link da comu e, sinceramente, to A-DO-RAN-DO a história. Li tudo ontem hehehe viciei! Li, tu escreves mto bem... parabéns! E a vivência dos personagens... a tua história tem conteúdo, tem cultura... TU TEM O DOM DA ESCRITA, GURIA! PARABÉNS novamente!
Bjos da Gaúcha

Li disse...

Aninha, com 12 anos?!
Menina, queria que o meu tivesse sido cedo assim, pq aí eu teria treinado mais...
Se contar qnd foi...
nãooo melhor não.
vcs vão ficar de boca aberta.ahahhaha

Gente a ana sugeriu o fã clube:

Fã-clube Ruan Forever

HAHAHAHHAHAH adorei.

Beijão!

Adoro os comentários daki!!!

Li disse...

Mell, obrigada por ter me feito sentir normal hahahahah

afinal, foi meio fiasco tb.

mas olha, to já no mestrado hahahahha

mentira. (meu namorado diria agora "li, Docinho, como vc é convencida!")

e eu pisco o olho "convencida é que acha que é o que não é"

hahahah adoro joguinhos de palavras.

será q é por isso q escrevo?

(*cara de pensativa*)

Li disse...

Aninha de novo...
Sobre o tal do impulso. Eu sou assim.
Que posso fazer?
Fecho c a Mell tb.
Lembro q qnd conheci o meu namo, a gente tava dançando e pá, foi.
Não sou de rodear muito não, vou lá pá, faço. hahahahha
(Gente não sou "dada" tá!)

hahahahahhahahaahah

curto muito tudo issooooooo!!!

Li disse...

Anônima, querida!
Que bom que veio pelo link da comu, pensei uma semana inteira se podia colocar lá.
tem gente que odeia propaganda. mas ai pensei, bom no máximo vou ser xingada por umas e outras vão vir olhar e algumas gostar.
bom, valeu a pena então!
heheheh
Olha, se quiser, crie um pseudonome para vc Miss alguma coisa, Srt sei lá o que.
Assim fica mais fácil "identificar" já que tem muitas anônimas agora, ok?
Mas se quiser manter o anônima, sem problemas, viu?
Era só para interagir melhor.
Sugestão apenas.
Seja bem vinda!!!

Ana Carolina disse...

Meu primeiro beijo?! tem uma década!!!rsrs(to ficando velha!) foi com 13 anos, com um garoto mais velho um ano e que muitas meninas paqueravam...me senti meio estranha tbm...sei-lá...não sabia se movia a cabeça, se abria mais ou menos a boca...rsrsrs...mas até que foi legalzinho!!Depois fiquei com o menino de novo...ai foi melhor!rs...bem, mas posso dizer qu eo primeiro beijo que dei no meu more foi lindo, cinema...eu de gala, toda chique, e ele de terno, tbm todo chique...numa pista de dança, na penumbra!!Aiii, dá até arrepio de lembrar!!Bom demais!!Ahh...gostei do Jenifanta li!!!To amando o livro!!Muito bom pq tbm tem horas que é hilário!!!Ah..e quem falar que desenho animado é coisa de criança vai se ver comigo...meu amor me zoa pq faço coleção dos clássicos da disney e revejo eles até hj(tenho a primeira versão de bela adormecida!!)!!Fui no cinema ver nemo!!!!

Li disse...

EU FUI NO CINEMA VER NEMO, TB NÃO RIAM DE MIM!

Vi recentemente o do ratinho Ratatue (não sei escrever francês ok?)
Ameiiiii.

Adorrroo muito!

Ana Carol, volte sempre ok?!
Te espero no próximo capítulo.

Li disse...

eu fui AO cinema. credo, não deixem a Lucy ver isso aqui ok?

Ela me mata. rs.

Gaúcha disse...

Oi!
Estou testando p ver se consegui criar o nick como tu me sugeriu.
Aíííí, mal posso esperar pelo próximo capítulo!!!
Bjos

Lucy disse...

Nyaaaaaaa, dona Li!!! anida bem que vc corrigiu... hunf! ¬¬ (rsss - bjo, lindinha)

Gente, eu tb amo desenho!!! Mas meu preferido mesmo é musical!!! Tenho A Noviça Rebelde, Mary Poppins, Lili (1953), Cantando na Chuva e... ainda vou comprar mais!!! \o/ E eu tb fui ver o Nemo no cinema! Telãããããããããão!!! \o/ (hihihi)